Divã

A Misericórdia Triunfa Sobre o Juízo

Eu estava andando pelo shopping, quando avistei ao longe uma amiga, com quem cursei Seminário Teológico por quatro anos.

Uma amiga de verdade, daquelas com quem a gente não se estressa, tão boa aluna, quem sabe até melhor que eu. Tínhamos Ministérios parecidos, mas ela parecia ter um futuro mais promissor, pois seu timbre de voz era soprano e dos bons. Ela se casou com um Seminário, bem interessante por sinal, alvo dos olhares das outras seminaristas, até começarem a namorar. Sua chamada era episcopal e ele levava o maior jeito. Os anos se passaram e nunca mais os vi. Reencontrá-la no Shopping foi uma grande surpresa.

Ela estava com dois menininhos, mas estava sem o marido, então lhe perguntei por ele e ela me disse que estavam separados há alguns anos, que ela já tinha se casado outra vez, mas vez por outra, freqüentava sua casa. Fiquei triste com aquela notícia, principalmente quando ela me disse que ele desistira do Ministério. Ela, no entanto, apesar das quedas se firmando no Senhor e lutava para voltar a exercer o Ministério.

Mais triste fiquei, quando ela disse que precisava mudar de Igreja, porque sua liderança não esquecia o seu passado. Procurei saber da veracidade de sua história, embora não visse nela nada que desabonasse sua conduta e descobri que naquela Igreja pessoas divorciadas não tinham vez, é como se elas estivessem condenadas para o resto da vida. Por que algumas portas insistem em se manter abertas se não crêm no poder da restauração?

Deus perdoa, Deus esquece, Deus considera, mas o homem, não! Deus é misericórdia, mas o homem é o juízo! Deus estende a mão, o homem a encolhe! Deus atende o aflito, o homem o abandona; Deus tira o aflito do fundo do poço, o homem o empurra de uma vez por todas para nunca mais se levantar. Soldados quiseram apedrejar a mulher adultera pelo seu erro, mas Jesus disse “quem não tem pecado que atire a primeira pedra”. Tiago 2:13 diz

“Porque o juízo é sem misericórdia para quem não usa a misericórdia. A misericórdia deve triunfar sobre o juízo.”