Divã

Carta Enviada

"Estou passando por um dos piores momentos da minha vida. Minha mãe é doente e traz seqüelas de alguns derrames que teve. Ela tem seis filhos, mas somente eu e minha irmã mais nova cuidamos dela.

Os outros não querem abrir mão de suas vidas particulares, o que acaba tornando o nosso fado pesado demais. Sou casada e tenho um filho de nove anos, mas não estou presente no meu lar por conta dessa situação. Meu casamento acabou entrando em crise, muita discussão, falta de compreensão e muitos problemas financeiros. Meu marido é funcionário da Prefeitura e tem três filhas de outros casamentos, uma é casada, as outras duas não trabalham, mas estudam, todas são de maior idade e meu marido continua pagando pensão alimentícia.

As ex-mulheres atormentam minha vida e ele não faz nada para melhorar essa situação. Estou muito cansada. Sentimental, física e emocionalmente desgastada. Já pensei até em me separar , porque não consigo ter paz! Deixei-me levar pelas aflições e acabei esfriando na fé. Reencontrei um ex namorado e saímos, mas me senti muito mal, porque sou serva de Deus e sei que isso fere o Espírito Santo. Mesmo assim dei continuidade a esse romance, porque ele soa para mim como refrigério. Continuo traindo meu marido. porque estou com raiva dessa situação. Já pensei até em sair da Igreja. Sei que estou num caminho sem volta, quase morrendo por não sentir mais a presença de Deus. Minha vida parece um Tsunami. Não agüento mais essa pressão. Preciso de ajuda e não sei onde encontrá-la! Obrigado pela atenção!"

Resposta:

"Elevo os olhos para os montes: De onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra e Ele não permitirá que meus pés vacilem." (Sl 121:1-3) Nosso grande problema é que só recorremos a Deus quando nossos pés já vacilaram. Mesmo assim, Ele diz que se nos voltamos para Ele, Ele não nos lançará fora. Ainda que seus irmãos não se importem com sua mãe, você deve fazer a sua parte, porque cuidar dos pais é atitude nobre diante de Deus, é mandamento de Deus com promessa. Tenho certeza que no tempo certo, Deus há de honrá-la. Contudo, cuidar da mãe não justifica a ausência em casa. Mesmo que você trabalhe durante o dia, tem o restante da tarde e a noite para cuidar dos afazeres domésticos, de você, do marido e do seu filho.

É claro que esse fardo pesa, mas Jesus pode renovar suas forças até que você encontre outra saída. Faça as coisas devagar e bem pensadas para não perder a razão e se arrepender depois. Seu filho depende de você, do seu bem estar, da sua saúde física, do seu bom humor, do contrário, você estará criando um filho cheio de complexos e problemas. Tente conversar outras vezes com seus irmãos e alertá-los da realidade. Eles também vão envelhecer um dia e a lei da semeadura é infalível. Ore sempre, compartilhe com Deus a sua dor. Ele pode te ajudar! Quanto ao seu casamento, você precisa querer mantê-lo vivo, caso contrário, ficaremos aqui jogando conversa fora. Você disse que um dos motivos que a faz trair seu marido é a raiva que sente da situação.

Raiva nunca foi um bom conselheiro. Se você e seu marido não estiverem unidos no mesmo propósito, não conseguirão andar juntos. (Amós 3:3) A impressão que se dá é que ele ganha bem, mas está deixando o dinheiro sair por entre os dedos. Se o canalizar para a direção certa não haverá problemas financeiros. Parece meio absurdo ele continuar pagando pensão nas circunstâncias apresentadas. Não sei se seu filho também é dele, não sei se ele se nega a colaborar nos cuidados com a sua mãe, mas se vocês não entrarem num acordo, reclamar, resmungar será o mesmo que chover no molhado.

Quem quer resolver o problema não o tolera, nem bate boca. Age. Quanto a sua vida espiritual, provação nunca esfriou a fé de ninguém, pelo contrário. A fé é como ouro e a provação, como fogo. O fogo depura o puro. O seu problema é que você foi procurar refrigério na pessoa errada. Ex-namorado jamais foi refrigério para mulher casada. Isso é loucura. Depois que o caso perder o encanto, você terá dois problemões nas mãos.

Então seja racional e fuja disso agora! Se você realmente quer ter paz, não trilhe por caminhos de guerra. Jesus é o único refrigério e socorro bem presente na hora da angústia. Graças a Deus os tsunamis que nos sobrevêm podem ser contornados. Você escreve dizendo que não suporta o silêncio de Deus, o que me faz acreditar que você está realmente querendo encontrar a saída. Acredito que você tenha um pastor.

Converse com ele, ore com ele. Ninguém consegue passar pela senda do vale da sombra e da morte sozinho. Peça ajuda! Grite, só não se lance no abismo ou nos braços de alguém que só vai complicar mais a sua situação. Não largue a família por causa de um prazer momentâneo, não desista do seu casamento antes de ter certeza de que fez tudo o que podia para salvá-lo. Cuido do seu filho, do seu marido, da sua mãe, mas não se esqueça de você.

Ninguém consegue ajudar o outro se também estiver doente. Converse com seu marido e leve-o a entender que casamento é renúncia de tudo em favor de dois e que as ex-esposas não fazem mais parte dessa relação, portanto suas opiniões não devem ser levadas em conta. Se não houver acordo entre vocês dois, não haverá mais nada. Fica na paz.